Fios soltos, desencapados e espalhados são encontratos na grande maioria das construções

Construir Nordeste 31/07/2016

Construção1

Fábio Amaral, diretor da Engerey Painéis Elétricos

A construção civil é um dos setores que registram os maiores índices de acidentes de trabalho. No ranking de lesões, as quedas e ferimentos nos membros superiores (mãos) são os mais frequentes entre os trabalhadores. Já nos casos de óbitos, os registros mostram a eletricidade como um dos principais motivos, segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT). Em geral, são 450 mortes todos os anos (CNAES/INSS).

Segundo o Engenheiro Eletricista Fábio Amaral, diretor da Engerey Painéis Elétricos, na grande maioria das construções os equipamentos elétricos utilizados são ligados em fios soltos, desencapados e espalhados, o que aumenta o risco de choques elétricos, curtos e incêndios nos canteiros de obras. “Há soluções simples que podem evitar acidentes. Uma saída é a utilização de quadro de tomadas que impedem que os fios fiquem dispersos nas obras, gerando menos riscos de choques, queima e perda de equipamentos e até acidentes mais graves”, explica.

Para atender a Norma Regulamentadora NR-10, que estabelece requisitos para a garantia da Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade, o engenheiro recomenda o uso dos painéis de tomadas, pensando na segurança dos profissionais do setor. “Os painéis contém, além das tomadas industriais e/ou tomadas NBR 14136, dispositivos de proteção contra fuga à terra denominados DR’S, que além de proteger a ligação de máquinas e equipamentos diversos, também são proteções a vida. Além de segurança, esses painéis proporcionam mobilidade, já que o painel pode ser utilizado em diversos locais de obras”, explica.

Segundo o estudo da Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Brasil ocupa o 4º lugar em relação ao número de mortes por acidentes de trabalho, com 2.503 óbitos. O país perde apenas para China (14.924), Estados Unidos (5.764) e Rússia (3.090).

“É importante que haja a preocupação das empresas em planejar e analisar os riscos nas obras para a prevenção de acidentes, com o objetivo principal de evitar perda de vidas humanas, danos à saúde do trabalhador, além de prejuízos ambientes e materiais”, conclui Amaral.

DADOS:

Todos os anos são registrados 450 mortes na construção civil no Brasil (CNAES/INSS).

O último levantamento divulgado pela Abracopel – Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade, do total de 627 mortes por acidentes de origem elétrica que ocorreram no Brasil em 2014, 109 aconteceram na rede aérea de distribuição, destes, 63 foram com profissionais como pedreiros, pintores, instaladores de calhas e fachadas e eletricistas (Copel). Já em 2015 aconteceram no Brasil 772 acidentes com terceiros envolvendo a rede elétrica e demais instalações, segundo a Aneel.